PROMOÇÃO

quinta-feira, 6 de julho de 2017

PGR pede abertura de inquérito para apurar se Serra recebeu R$ 7 mi da JBS por caixa 2

Foto: Geraldo Magela / Agência Senado

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a abertura de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador José Serra (PSDB-SP) para investigar se ele recebeu cerca de R$ 7 milhões da JBS, por meio de caixa 2, durante a campanha presidencial de 2010, quando o tucano perdeu para a ex-presidente Dilma Rousseff. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, o empresário Joesley Batista, sócio da JBS, informou que fez uma doação não contabilizada à campanha: foram ao todo R$ 20 milhões, mas somente R$ 13 milhões foram declarados à Justiça Eleitoral. Em depoimento de delação premiada, o empresário contou que Serra o procurou na sede da JBS em São Paulo para pedir financiamento. De acordo com seu relato, R$ 6 milhões foram repassados através de emissão de nota fiscal da LRC Eventos e Promoções, que simulava a aquisição de um camarote na Fórmula 1. Outros R$ 420 mil, segundo Joesley, foram pagos por meio da empresa APPM Análises e Pesquisas. No pedido, encaminhado ao ministro Edson Fachin, Janot Janot pede que o caso seja redistribuído a outro magistrado, já que o tema não tem relação com esquema de corrupção da Petrobras. O procurador também pediu autorização para tomada de depoimentos de Serra e dos responsáveis pelas empresas envolvidas. Outra solicitação é para que ambas as empresas citadas prestem os esclarecimentos sobre os serviços supostamente prestados e sobre a emissão das notas fiscais.
Por meio de sua assessoria de imprensa, o congressista afirmou que "todas as suas campanhas eleitorais foram conduzidas dentro da lei, com as finanças sob responsabilidade do partido.
E sem nunca oferecer nenhuma contrapartida por doações eleitorais, como aliás confirma o senhor Joesley Batista".

Nenhum comentário: