PROMOÇÃO

sábado, 2 de setembro de 2017

Esquema de lavagem de dinheiro e sonegação de impostos no CE causou prejuízo de R$ 300 milhões

A Polícia Civil deflagrou, nesta sexta-feira (1º), a Operação Dissimulare, em combate a crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa que eram cometidos no Ceará.

O trabalho ofensivo desestruturou um esquema de compra de mercadoria têxtil com sonegação de impostos, que chegou a refletir em um prejuízo de mais de R$ 300 milhões aos cofres públicos. Ao todo, 13 mandados de prisão e 37 de busca e apreensão foram cumpridos e cerca de R$ 2 milhões, já contabilizados, foram apreendidos. A ofensiva foi organizada pelo Departamento de Polícia Especializada, com o apoio da Secretaria da Fazenda (Sefaz), e contou com a atuação de 160 policiais civis. As investigações iniciaram há pouco mais de um ano e tinham como foco as ações ilícitas de pessoas que compravam produtos do ramo têxtil sem o pagamento dos devidos impostos. De acordo com os levantamentos policiais, estima-se que os suspeitos realizaram uma movimentação financeira que ultrapassa a cifra de R$ 1 bilhão sem o recolhimento de impostos.


“O trabalho policial buscou apurar a atuação de uma organização criminosa que se instalou no Ceará com a finalidade de sonegar impostos na aquisição de insumos da indústria têxtil”, explica o delegado Márcio Gutierrez, titular da Delegacia dos Crimes Contra a Administração e Finanças Públicas (DCCAFP).


Sobre o esquema

Os levantamentos apontaram que os investigados se utilizavam de empresas de fachadas constituídas por sócios "laranjas", criadas para adquirir os produtos em outros estados e, em seguida, repassá-los a empresas ligadas ao esquema.

A lista inclui de presos inclui empresários, auditores da Secretaria da Fazenda (Sefaz) e contadores, entre outros. Alguns deles já possuem passagem pela Polícia.

Já os 37 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em empresas, residências, no prédio do Sindicato de Confecções do Ceará e em outros locais. Os imóveis estão situados em bairros como Centro, Aldeota e Meireles.

Nos locais alvos da operação, os agentes de segurança apreenderam diversas mercadorias como veículos, joias, cerca de R$ 2 milhões, além de outros valores que estão sendo contabilizados, tecidos avaliados em mais de R$ 100 milhões e aparelhos eletrônicos, entre outros produtos.

A Polícia Civil também representou pela indisponibilidade dos bens e bloqueio de contas bancárias dos investigados. Ainda de acordo com o delegado que está à frente das apurações, Márcio Gutierrez, os trabalhos policiais continuam e outras raízes da Dissimulare serão deflagradas. A operação segue em andamento.


Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário: