PROMOÇÃO

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Funceme não descarta nova chuva de granizo no Ceará ao longo dos próximos dias

Após uma chuva de granizo surpreender moradores do município de Parambu, na região dos Inhamuns, na última quarta-feira (20), em um fato considerado raro no Ceará, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) realizou uma nova previsão para os próximos dias e não descartou a possibilidade de o fenômeno voltar a acontecer. De acordo com a Funceme, a previsão é de incidência de chuvas em todo o Estado pelo menos até o próximo domingo (24), uma vez que o sistema meteorológico de nuvens que ocasionou as precipitações nos últimos dias, conhecido como Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN), segue atuando no território cearense. "Há sim a possibilidade de ocorrer (uma nova chuva de granizo), já que ela foi uma consequência direta do VCAN, que dá origem às chamadas nuvens cumulonimbus. Essas nuvens, que podem ter mais de 10km de altura, costumam ter temperaturas muito baixas em sua extremidade, atingindo até 70 ºC negativos. Dessa forma, as gotas de água congelam e viram cristais de gelo, que crescem e são atraídos pela força da gravidade, caindo na superfície", explica o supervisor da Unidade de Tempo e Clima da Funceme, Raul Fritz.
Ainda conforme o especialista, as nuvens cumulonimbus, que estão associadas à incidência de raios, trovoadas e chuvas fortes, são comuns no Ceará, mas os cristais de gelo que são formados em seu interior raramente conseguem atingir o chão sem derreterem no processo de queda. "O que vimos em Parambu foi incomum pela quantidade de granizo que chegou à superfície", explica.


Chuvas podem se alastrar

Sobre a incidência de chuvas em todo o Ceará, o supervisor da Funceme afirma que é difícil projetar a intensidade das precipitações para os próximos dias, uma vez que isso pode variar em cada região do Estado. A tendência, porém, é que as chuvas não sejam muito fortes. "A atuação do VCAN pode acabar a qualquer momento, como também pode se alastrar por mais uma semana", comenta.


DN Online
Via Lindomar Rodrigues

Nenhum comentário: