PROMOÇÃO

sexta-feira, 9 de março de 2018

TRIPLA EXECUÇÃO EM CAUCAIA Polícia segue em busca dos corpos das três mulheres


Na última quarta-feira (7), Bombeiros e a Polícia fizeram buscas pelos corpos, mas até ontem, os cadáveres não haviam sido localizados ( Foto: Cid Barbosa )

As buscas pelos corpos das três mulheres que foram assassinadas na última sexta-feira (2), no bairro Parque Leblon, em Caucaia, continuaram na tarde de ontem (8). Uma equipe composta por cerca de 10 policiais do 7° DP (Pirambu) comandou a operação, mas os cadáveres ainda não foram localizados.

A Polícia Civil começou a investigar a tripla execução quando a família de Ingrid Teixeira Ferreira registrou um Boletim de Ocorrência (B.O) alegando o desaparecimento da jovem. Os investigadores acreditam que a disputa entre facções criminosas teria motivado o crime.

Em um dos vídeos gravados pelos assassinos, uma das jovens dizia estar se desvinculando da facção Comando Vermelho (CV) e se transferindo para a Guardiões do Estado (GDE).

De acordo com o delegado-adjunto Alexandre Sanders, a operação estava marcada para começar às 14h e terminar às 18h de ontem (8), entretanto a reportagem constatou que os agentes do 7°DP finalizaram os trabalhos precocemente, por volta das 16h.


Ao pedir explicações sobre a ação prematura, foi repassada a informação de que os policiais seguiram para outra ocorrência, no bairro Vila Velha, na zona oeste de Fortaleza. Sobre novas informações do andamento da investigação, um policial civil disse não haver novidades, e mesmo se houvesse, não poderia repassá-las, alegando responder a ordens superiores. "Só devemos dar informações à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). É censura mesmo", declarou.


Buscas

Na manhã da última quarta-feira (7), equipes da Seção de Busca, Resgate e Salvamento com Cães (Sbresc) do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE) iniciaram as buscas dos corpos das vítimas, mas não obtiveram êxito. Moradores do bairro onde aconteceu a barbárie se agitaram com a ação, chegando a confrontar os agentes da Força Tática da Polícia Militar (PM) que davam apoio na incursão.

De acordo com a PM, um dos criminosos residia naquela região, e era considerado uma pessoa influente. Ele poderia estar coagindo as pessoas para colher informações sobre o caso.

Quanto à não-conclusão das buscas, as polícias Civil e Militar acreditam na hipótese de que os corpos foram arrastados pelas sucessivas cheias das marés, entretanto a operação seguirá até acharem os cadáveres.

Capturados

Após ter acesso a um vídeo onde as vítimas, ainda vivas, eram mutiladas, a Polícia Civil identificou e realizou a captura de quatro suspeitos, entre eles um adolescente de 17 anos.

Diego Alves Fernandes, 21, já respondia por receptação e organização criminosa. Ele foi o único que assumiu a participação nos crimes; Alexandre Alves, 23, já tinha passagens por roubo; Antônio Honorato dos Santos, 42, não tinha antecedentes criminais. Um quinto suspeito, identificado como Alison de Oliveira Borges, 19, está foragido.

Diario do Nordeste

Nenhum comentário: