PROMOÇÃO

quinta-feira, 19 de abril de 2018

CEARÁ Falta de água afeta 2 milhões de pessoas

Resultado de imagem para sem agua
Segundo o diretor de operações da Cagece, 90% do abastecimento da Grande Fortaleza serão afetados

Um dos grandes recursos naturais essenciais ao ser humano foi suspenso em Fortaleza e mais quatro municípios hoje, às 6h, pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), e só deve voltar às 20h. O motivo é a manutenção do sistema de abastecimento na Estação de Tratamento Gavião (ETA-Gavião), que fornece água potável para, aproximadamente, 2 milhões de pessoas no Ceará. Além da capital cearense, onde 90% da população ficará sem água, Eusébio, Maracanaú, Novo Maranguape, e o bairro de Pedras, em Itaitinga, também terão o recurso suspenso. Segundo o diretor de operações da Cagece, Rogério Leite, o serviço consiste na execução de uma manutenção preventiva e corretiva, cujo objetivo é garantir o bom funcionamento do sistema de abastecimento.


"Entenda como se fosse um carro: se uma peça já não está funcionando bem, ela é trocada. Com tudo é assim. No caso, essa será a troca das seis válvulas dos filtros que tratam a água. Como a válvula já esta no período de mudança, vamos fazer a manutenção para dar garantia de segurança hídrica à população", explica o diretor.


Segundo Rogério, não há um tempo certo de troca pois o sistema é monitorado diariamente, sendo verificado se está em bom estado ou não. "Quando percebe-se que é preciso corrigir algo, o serviço é feito. Pode demorar cinco, dez anos. Não tem como prever", relata. Cerca de 50 funcionários realizarão a troca. Não é possível executar os procedimentos necessários com a rede em funcionamento, porque são seis peças com 80 cm de diâmetro cada, retirando o dispositivo que já está e colocando outro.

Regiões Centrais

Rogério Leite afirma que, após a execução do reparo, o sistema deverá ser restabelecido imediatamente. Como a rede funciona por pressão, a água chegará mais rápido nas regiões centrais e só depois nas áreas mais elevadas, que são de baixa pressão e, para abastecer, é necessário maior impulso das bombas. Dessa forma, o equilíbrio total do sistema na Grande Fortaleza deve acontecer em até 72h. Para quem tem, além do abastecimento da Cagece, poço ou caixa d'água, o conselho da companhia é economizar o recurso ao máximo, usando apenas para atividades essenciais até que o sistema seja normalizado.

Conforme o diretor de operações da Cagece, tudo começa nos açudes, lagos e rios. A "água bruta" (sem tratamento) vinda desses mananciais é captada por bombas e adutoras e é levada até uma Estação de Tratamento de Água (ETA).

No Ceará, existem 154 ETAs atualmente. Nelas, a água passa por um processo para remoção de impurezas e tratamento. Depois de limpa, a água recebe cloro para desinfecção e é encaminhada para estações de bombeamento, que levam a água para os reservatórios de cada bairro e, assim, chega às casas.

Diario do Nordeste

Nenhum comentário: