PROMOÇÃO

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Mais seco dos grandes açudes, Banabuiú atinge maior nível em três anos

Terceiro maior reservatório do Ceará, com capacidade para 1,7 bilhões de metros cúbicos, o açude Banabuiú chegou ao seu maior nível em três anos. Atualmente, o reservatório está com 3,55% de seu potencial hidrológico, segundo último levantamento da Companhia de Gestão e Recursos Hídricos. Desde o começo de abril o volume deu um salto. No primeiro dia do mês, o número era apenas de 0,44%. Passados 17 dias, este percentual subiu 3,11 pontos percentuais.

A mais de um mês do fim da quadra chuvosa em maio, abril vem surpreendendo no quesito precipitações. O município de Banabuiú, local do açude de mesmo nome, teve sua maior chuva do ano entre as 7 horas de segunda-feira, 16, e o mesmo horário desta terça-feira, 17. Choveu 80.6 milímetros no município, o que é importante para o reservatório continuar se recuperando. É importante ressaltar que a situação hídrica ainda é crítica.

Já choveu 250.60 mm em abril em Banabuíu até agora, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).


O Banabuiú esteve praticamente seco ao decorrer dos últimos três anos. Com sua última grande cheia em maio de 2009, quando o volume chegou a 95.6%, o percentual começou a cair a partir de 2011. A última vez em que o reservatório teve volume acima deste percentual foi em 18 de janeiro de 2015.


Em fevereiro de 2017, o nível chegou ao mínimo: 0,39%. Agora, com a expectativa de chuvas acima da média para esta quadra chuvosa e com o mês de abril apresentando precipitações elevadas, o cenário pode voltar a ser de esperança. O Ceará já alcançou o maior aporte de água dos últimos sete anos, um total de 1,5 bilhão de m³.

Os outros três grandes açudes do Estado, Castanhão, Orós e Araras, têm recebido boas recuperações. Atualmente eles estão com 6,85%, 8,81% e 27,19% de volume, respectivamente. Conforme a Cogerh, 20 açudes estão sangrando, 24 estão com volume acima de 90% e 91 com volume inferior a 30%. (Do O Povo)

Nenhum comentário: