PROMOÇÃO

sexta-feira, 27 de abril de 2018

'OPERAÇÃO RENAULT 34' Estado de saúde de delegado afastado é estável

Romério Almeida foi encontrado no apartamento onde mora com dois ferimentos por arma de fogo


Na manhã da última terça-feira (24), o gabinete do delegado Romério Almeida, no 34º DP (Centro), foi alvo de mandados de busca e apreensão ( Foto: Cid Barbosa )
Logo após o delegado Romério Almeida ser encontrado baleado em sua residência, na Aldeota, em Fortaleza, na manhã de ontem, o delegado geral da Polícia Civil no Ceará (PCCE), Everardo Lima da Silva, pregou , em entrevista na manhã de ontem à TV Diário, que "é preciso ter cautela com a exposição das pessoas",

Romério foi afastado do cargo de titular do 34º DP (Centro) durante a "Operação Renault 34", deflagrada pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) e pela Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário do Estado (CGD), na última quarta-feira (25). Suspeito de corrupção passiva, ele teve o nome divulgado pelo órgão acusatório, junto do advogado Hélio Nogueira Bernadino e do detento Anderson Rodrigues da Costa - suspeitos de corrupção ativa.

O delegado-geral afirmou que a divulgação do nome dos investigados em operações como essa precisa ser revista. "A forma como as operações são reveladas no meio social, um fato que envolve pessoas que têm uma reputação a zelar, é preciso rever. A Polícia Civil não defende a impunidade. Mas é preciso ter cautela com a exposição das pessoas, do cidadão mais simples às autoridades públicas. Será que não está havendo uma exposição demasiada?!", indagou Everardo Lima. A entrevista foi concedida pouco tempo após o delegado geral ver o colega de trabalho sendo atendido no Instituto Doutor José Frota (IJF). Segundo ele, Romério estava consciente, orientado e movendo a cabeça, até a tarde de ontem.


Outras autoridades policiais também compareceram à unidade de saúde, no Centro da Capital, para prestar apoio ao colega de trabalho ferido. Estiveram presente o delegado geral adjunto da PCCE, Marcus Vinícius Rattacaso; o chefe de gabinete da Instituição, delegado Sérgio Pereira; e outros colegas.


Everardo Lima revelou que Romério apresentava dois tiros, sendo um no ouvido e outro no peito. Ele chegou a ser levado a um hospital particular, mas precisou ser transferido para o IJF. Segundo o delegado geral, a tomografia constatou que um disparo contornou o osso e se alojou no outro ouvido, mas não comprometeu o cérebro. A arma utilizada seria de calibre 22

A reportagem do Diário do Nordeste apurou que ele estava sozinho em casa e quando a esposa dele chegou ao local o encontrou baleado. Ele foi levado para um hospital particular e depois transferido para o IJF. Ainda na tarde de ontem, ele foi recambiado para outra unidade de saúde.

Sigilo

O Ministério Público do Ceará, através do Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc), afirmou, em nota, que solicitaria à Justiça, ontem, o levantamento do sigilo do processo que apura indícios de corrupção no 34º DP. "Entre o material que pode ser autorizado para divulgação estão os áudios das interceptações telefônicas entre os suspeitos", informou o órgão. Anderson da Costa, apontado como membro de uma facção criminosa, foi flagrado em um uma interceptação telefônica autorizada pela Justiçada Coordenadoria de Inteligência (Coin) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), em que foi descoberto que ele entregaria droga nas proximidades da Avenida Duque de Caxias, em Fortaleza, no dia 26 de janeiro de 2016.

A Polícia Militar tentou abordar o homem, mas ele reagiu, trocou tiros com os PMs e fugiu, deixando um veículo Renault Logan, documentos pessoais, aparelhos celulares e dinheiro. Segundo o MPCE, o material foi apreendido e levado ao 34º DP. No dia seguinte, Anderson procurou o advogado Hélio Bernadino para conseguir a liberação do do automóvel. Em troca, Bernardino pediu R$ 1.500 para ele e mais R$ 1.500 que seria para o delegado Romério Almeida. No dia 28 de janeiro daquele ano, os bens foram restituídos.

A investigação ainda detectou que o Boletim de Ocorrência (B.O.) registrado pelos PMs pela troca de tiros com o suspeito não resultou na abertura de Inquérito Policial. O titular do 34º DP foi questionado pelo MPCE sobre o fato e, somente depois disso, já em 20 de outubro de 2017 foi instaurado o Inquérito.

O juiz da 8ª Vara Criminal de Fortaleza, Henrique Jorge Granja de Castro, expediu mandados de busca e apreensão, que foram cumpridos pelo MPCE e pela CGD, na última quarta-feira (25), na residência e no gabinete do delegado, localizados nos bairros Aldeota e Centro; no domicílio do advogado, na Jacarecanga; e na cela onde Anderson está preso, na Unidade Prisional Desembargador Francisco Adalberto Barros de Oliveira Leal, conhecida como 'Carrapicho', no Município de Caucaia.

A Justiça estadual ainda determinou o afastamento temporário de Romério Almeida do seu cargo público, por 60 dias.

por Messias Borges - Repórter
Diario do Nordeste

Nenhum comentário: