sexta-feira, 31 de maio de 2019

Moradores de Flamengo e São Paulino fazem protesto e interditam CE entre Acopiara e Catarina

A manifestação pede ao governador obra de asfalto entre as localidades de São Paulino, Flamengo e a cidade de Saboeiro em um trecho de 42 km.
Protesto por obra de asfalto entre Saboeiro e Flamengo. Fotos de Wandenberg Belém

Moradores dos distritos de São Paulino, em Acopiara, e do distrito de Flamengo, em Saboeiro, promoveram um protesto na manhã desta quinta-feira, 30, contra a precariedade da rodovia que liga as duas localidades à sede do município. Os manifestantes interditaram a CE 277, que liga os municípios de Acopiara a catarina, na região Centro-Sul cearense. O motivo da interdição da via é cobrar do governo estadual a realização de obra de asfaltamento no trecho que é de terra. Essa é uma luta antiga dos moradores.

A cada período de chuva, a estrada fica mais precária e intransitável.

Entre São Paulino, Flamengo e Saboeiro a estrada é de terra e está em condições muito ruim. Há muitos buracos, poeira no tempo seco, lameiro no tempo do inverno e prejuízo para todos nós”, disse o produtor rural, Marcos Félix. A estrada de terra é um trecho da CE 371 que liga Acopiara a Saboeiro, passando pelos distritos de São Paulino e Flamengo. E uma importante via para o escoamento da produção agrícola e para o comércio. Antônio Derli Nogueira, presidente da Associação de Moradores do distrito de Flamengo, lembra que o governador Camilo Santana e lideranças políticas locais prometeram a construção da estrada. “O nosso protesto é para cobrar do governador essa obra que é necessária”, disse. Os produtores reclamam que deixaram de vender leite à empresa Betânia porque os caminhões não fazem mais a rota por conta da precariedade da estrada. “Aqui havia o fornecimento de três mil litros de leite por dia e isso é um prejuízo para todos”, pontuou Derli Nogueira.  O comerciante, José Arnon Pereira, disse que há prejuízo para o setor porque os caminhões não querem fazer entrega de mercadorias com a estrada estragada e o frete fica mais caro. A professora Andreia Carvalho participou do protesto e justificou. “Temos de exercer o nosso papel de cidadã, exigir os nossos direitos”, frisou. O comerciante José Carlos lembrou que essa é a segunda manifestação que moradores realizam somente este ano. Com o uso de tratores e de equipamentos agrícolas, os moradores interditaram a rodovia ao longo da manhã. Os moradores esperam há mais de 50 anos pela chegada do asfalto. Desde quarta-feira, ontem, máquinas começaram a trabalhar na estrada, fazendo serviço paliativo e de tapa-buracos nos trechos mais críticos. O agricultor Abrão Gonçalaves na manhã desta quinta-feira quando ia para a manifestação teve o pneu do carro rasgado. “Essa não foi a primeira vez e em outro caso estraguei o motor do carro”, disse. “A estrada está muito ruim”.
Estrada de terra tem muitos buracos

Estrada entre Acopiara e Catarina foi interditada na manhã desta quinta-feira

Veja vídeo de momento da manifestação:

Nenhum comentário: