Este ano, não há garantia de que os segurados do INSS que ganham mais do que o salário mínimo terão aumento acima da inflação.

O reajuste anual de 11,7 milhões de aposentados e pensionistas do INSS que recebem acima do piso nacional deverá ser anunciado na nesta sexta-feira(10), quando o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vai divulgar o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado de janeiro a dezembro de 2019. Esse indicador — que mede a alta do custo de vida para famílias com renda de até cinco salários mínimos — é o parâmetro para o aumento dos benefícios previdenciários de maior valor.

Este ano, não há garantia de que os segurados do INSS que ganham mais do que o salário mínimo terão aumento acima da inflação — o chamado ganho real —, pois a fórmula de reajuste aplicada até 2019 deixou de existir. O governo deixou de considerar a variação inflacionária do ano anterior mais o Produto Interno Bruto de dois anos antes.

Em 2018, o PIB cresceu 1,1%, o que permitia projetar um aumento maior em 2020, caso a política vigente até o ano passado tivesse sido mantida.

No caso dos segurados que recebem acima do piso nacional, a correção salarial será aplicada sobre os benefícios de janeiro pagos nos cinco primeiros dias úteis de fevereiro, de acordo com o número final do cartão de pagamento (dois grupos por dia).