Os agentes da Superintendência Regional da Polícia Federal apreenderam no ano passado, aproximadamente R$ 24 milhões em notas falsa no Ceará. Em 2018, os valores apreendidos chegaram a R$ 15 milhões. Entre os bens que foram capturados pela polícia, estão barcos, carros de luxo, imóveis e joias, além dos ativos financeiros, como bloqueios das contas bancárias dos suspeitos.

Só com relação ao tráfico, em 2018 foram apreendidos R$ 605 mil e, em 2019, R$ 879 mil. Parte dos valores vieram a partir de operações, como a ‘Reino de Aragão’ e ‘Dínamo’. A Operação ‘Reino de Aragão’ resultou nas prisões de quatro suspeitos que estiveram à frente da onda de ataques criminosos ocorrida no último mês de setembro, no Ceará. Já a ‘Dínamo’ foi para desarticular um grupo criminoso responsável por ataques com explosivos a torres de transmissão de energia da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) em Fortaleza e Maracanaú, município da Grande Fortaleza.



Parte dos veículos que chegam às autoridades como resultado de apreensões passam a ser utilizados pelos policiais durante diligências. Segundo a Delegacia de Combate ao Crime Organizado, geralmente os policiais avaliam se é economicamente viável o uso do automóvel apreendido para realizar as atividades policiais. A partir disto acontece o pedido de autorização ao Poder Judiciário.

De acordo com o Banco Central, cerca de 3200 cédulas fraudulentas foram tiradas de circulação em 2019, no Ceará. Destas, 40% são notas de R$ 100.

Ceará Agora