Um deles foi baleado na Aldeota, zona nobre da Capital. O segundo caso, em CaucaiaDois motoristas de aplicativo são assassinados no fim de semana na Grande Fortaleza
Na Aldeota, o motorista baleado perdeu o controle da direção e o carro bateu numa mureta metálica

Dois motoristas de aplicativos foram assassinados no fim de semana na Grande Fortaleza. A Polícia já está investigando os dois casos, mas até o momento nenhum suspeito foi preso ou identificado. O primeiro assassinato aconteceu na noite do último sábado no bairro Aldeora, na zona nobre da Capital. Em menos de 24 horas, o segundo motorista foi morto em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).


O primeiro caso ocorreu na noite do último sábado (21), quando bandidos atacaram um carro de corridas por aplicativo que estava parado na esquina das ruas Maria Tomásia e Vicente Leite, no bairro Aldeota. O motorista, identificado como Joaquim Lopes de Paula Júnior, 31 anos, aguardava um cliente que sairia de um shopping center no local.


Criminosos abordaram o motorista e este se assustou e deu partida no veículo, mas acabou atingido por um tiro na cabeça. Desgovernado, o carro bateu numa mureta metálica e os assaltantes fugiram em outro veículo com comparsas que o aguardavam na Rua Vicente Leite.

Equipes do Samu foram chamadas ao local e fizeram o primeiro atendimento no local. O motorista sofreu parada cardíaca, foi reanimado e levado para o IJF-Centro, onde faleceu.

Segundo caso

Já na noite deste domingo (22), outro condutor de veículo de corridas por aplicativo foi baleado e morto. O crime aconteceu na Rua São Francisco, no bairro Itambé 2, na cidade de Caucaia. De acordo com informações preliminares colhidas pela Polícia no local, a vítima foi atacada por dois bandidos que estavam em uma motocicleta e executada com tiros na cabeça ainda na direção do automóvel.

O motorista morto foi identificado como Marcelo Silva Monte, que morava na mesma rua onde aconteceu o crime. Não se sabe, ainda, se ele estava saindo ou chegando em casa quando foi surpreendido e Atacadão pelos assassinos. A princípio, a Polícia descartou a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte)

Por : Fernando Ribeiro
CN7