Vidro do ônibus estava com marcas de tirosFoto: Isaac Macedo

Vítimas vinham de Granja em direção ao Aeroporto de Fortaleza, onde embarcariam para a cidade de Gramado/RS, mas perderam o voo após serem abordadas pelos suspeitos na BR-222, em Caucaia

Vítimas foram para a Delegacia de Maracanaú no ônibus que foi atacado pelos suspeitos na BR-222.

Duas pessoas foram detidas e três foram baleadas e mortas após uma perseguição policial na noite desta quarta-feira (4), em Maracanaú, na Região Metropolitana. O grupo é suspeito de assaltar um ônibus que levava cerca de 20 passageiros que vinham de Granja, no Norte do Estado, em direção ao Aeroporto de Fortaleza, onde embarcariam em um voo para Gramado, cidade do Rio Grande do Sul. O grupo iria para a cidade gaúcha para comemorar um aniversário. Uma das ocupantes do ônibus foi baleada de raspão. 


Segundo a polícia, momentos antes de abordar o veículo com os passageiros, os suspeitos haviam roubado um carro, em São Gonçalo do Amarante. Logo em seguida, passaram a seguir o ônibus até conseguir interceptá-lo na localidade de Primavera, em Caucaia.

O estudante Leonardo Sousa conta que estava acordado quando ouviu três disparos vindos do lado de fora do ônibus. Segundo ele, o motorista ainda tentou jogar o coletivo contra os suspeitos, mas não conseguiu impedir a ação. "Eles foram para a frente o ônibus, deram mais dois disparos e o ônibus parou. Eles entraram, fizeram o motorista refém e foram recolhendo os objetos dos passageiros", revela.

Após roubar os pertences das vítimas, o grupo fugiu pela BR-222, mas foi perseguido pela polícia, que havia sido acionada.

Durante a perseguição, houve um tiroteio e os suspeitos perderam o controle da direção e colidiram o carro contra uma mureta de proteção, já no 4º Anel Viário, na cidade de Maracanaú. Um homem e uma mulher foram deditos. Outras três pessoas ainda não identificadas foram baleadas e socorridas, mas morreram no Hospital Municipal de Caucaia. 

Os turistas foram levados para prestar depoimento na Delegacia de Maracanaú, responsável pelas investigações. Não há informações sobre quando as vítimas vão poder embarcar em um novo voo para a cidade de Gramado, uma vez que perderam o horário da viagem.

Diario do Nordeste