São nove mortes a mais que as registradas até a segunda-feira


Praça do Ferreira, coração de Fortaleza, durante pandemia de coronavírus (Foto: Fabio Lima/O POVO)

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Ceará chegou a 1.188 até às 18h33min desta terça-feira, 7. O número de óbitos chegou a 40. Os números são da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). São nove mortes a mais informadas no intervalo de 24 horas. São ainda 165 casos a mais que os informados na véspera.

Até a segunda-feira, 6, o Ceará tinha 1.023 casos confirmados e 31 mortes.
Conforme dados do IntegraSUS, o Estado agora soma 40 óbitos. Desses 30 foram registrados em Fortaleza. Veja os municípios onde houve óbitos:
FORTALEZA: 30
ARACATI: 1
CARIUS: 1
EUSEBIO: 1
FARIAS BRITO: 1
IGUATU: 1
ITAITINGA: 1
JAGUARIBE: 1
MARACANAU: 1
SANTA QUITERIA: 1
TIANGUA: 1



No Brasil, eram 13.717 casos confirmados e 667 mortes até terça, 7 de abril (07/04).



Veja a distribuição de casos no Ceará


FORTALEZA: 1053
AQUIRAZ: 24
MARACANAU: 17
CAUCAIA: 14
Sem informação: 12
SOBRAL: 11
HORIZONTE: 6
QUIXADA: 4
ICO: 3
JAGUARIBE: 3
JUAZEIRO DO NORTE: 3
ARACATI: 2
CARIUS: 2
EUSEBIO: 2
IGUATU: 2
MARANGUAPE: 2
NOVO ORIENTE: 2
PACATUBA: 2
AMONTADA: 1
BEBERIBE: 1
CANINDE: 1
CASCAVEL: 1
CATARINA: 1
CRATEUS: 1
CROATA: 1
FARIAS BRITO: 1
FORTIM: 1
GUARACIABA DO NORTE: 1
IPAPORANGA: 1
IPUEIRAS: 1
ITAITINGA: 1
ITAPIPOCA: 1
LAVRAS DA MANGABEIRA: 1
LIMOEIRO DO NORTE: 1
MAURITI: 1
PEDRA BRANCA: 1
PINDORETAMA: 1
QUIXERAMOBIM: 1
SANTANA DO ACARAU: 1
SANTA QUITERIA: 1
SENADOR POMPEU: 1
TIANGUA: 1
Por que se chama coronavírus?


O nome "corona" se deve à coroa de espinhos que o envolve. Esses espinhos estão envolvidos por uma camada de gordura - retirada das próprias células humanas. Ele entra nessa capa de gordura para invadir outras células. Sem esta fina capa de gordura, o coronavírus morre.
Como é a transmissão do coronavírus?

Os coronavírus são transmitidos por ar e por mucosas. O vírus sobrevive bastante tempo em gotículas de espirro e tosse. Para evitar contaminação por meio das gotículas, recomenda-se ficar a pelo menos um metro e meio de pessoas com tosse ou espirrando.

O vírus também está em gotículas aerossóis. Elas são tão minúsculas e finas que ficam suspensas no ar, e contaminam principalmente pessoas que estão em ambientes fechados com ar condicionado.
Veja as recomendações da OMS para prevenir o novo coronavírus:
Lave as mãos frequentemente

Lave as mãos regularmente com álcool em gel ou com água e sabão. O álcool e o sabão matam vírus que podem estar nas mãos.
Mantenha distância social

Mantenha ao menos um a dois metros de distância entre você e pessoas que estejam tossindo ou espirrando. O vírus do Covid-19 é transmitido por gotículas que estão nos corrimentos nasais e saliva. A distância entre pessoas com sintomas de gripe evita que as gotículas cheguem a você.
Evite ficar tocando os olhos, nariz e boca

As mãos tocam todos os tipos de superfície e podem pegar vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz e boca. De lá, o vírus pode entrar no organismo e adoecer você.
Cubra a boca e o nariz ao tossir ou espirrar

Quando estiver rodeado de pessoas, cubra a boca com a dobra do cotovelo ao espirrar ou tossir. Também é possível usar lenços, que devem ser descartados prontamente depois do uso - dobre-os com a parte usada para dentro, a fim de evitar que o vírus se espalhe.
Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, ligue para o posto de saúde

Se você está se sentindo mal, fique em casa. Caso tenha sintomas como febre, tosse e dificuldade em respirar, ligue para o posto de saúde mais próximo. A partir da ligação, os agentes de saúde indicarão o que você deve fazer: se deve ficar em casa, se encaminharão um profissional, ou se você pode ir a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).
Quais os sintomas do novo coronavírus?

Os sinais do novo coronavírus se assemelham ao de uma gripe comum:

- Febre

- Tosse seca

- Cansaço

- Dificuldade para respirar em alguns casos

- Pode haver dores no corpo

- Congestão nasal

- Coriza

- Dor de garganta

- Há casos de diarreia

- Pode haver infecção do trato respiratório inferior, como nas pneumonias.

Há pessoas que não desenvolvem nenhum sintoma.

Período médio de incubação: cinco dias, com intervalos que chegam a 12 dias - período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

Por
REDAÇÃO O POVO