O jornal Folha de S. Paulo traz matéria, nesta quinta-feira (2), sobre denúncia feita por equipes de Atenção Básica com relação a subnotificações de casos de coronavírus ao Ministério da Saúde.


Segundo a publicação, isso vem ocorrendo mesmo depois do ministro Luiz Henrique Mandetta ter solicitado, em 20 de março, que todos os casos suspeitos, independentet da gravidade, fossem notificados por estados e municípios.


Isso significa que o avanço da epidemia pode ser muito maior do que se tem registro. Por isso, muitos hospitais esperam que dentro de poucas semanas comecem a faltar vagas em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs).

Em alguns estados e municípios, chega-se a um caso informado para cada 30 ou mais episódios em que pacientes podem estar doentes sem que as ocorrências sejam reportadas em nível federal.

Em tempo

As subnotificações tem a ver com a falta de kits para fazer teste para covid-19.

Em tempo II

No Ceará, o governador Camilo Santana já havia alertado para isso.

CN7