Agefis apreendeu os objetos nas agências da Caixa dos bairros Messejana e Parangaba. Desde o início dos saques, agências da Caixa de Fortaleza e cidades do interior têm registrado longas filas e aglomerações.


Agência de Fiscalização apreendeu cadeiras e bancos usados para vender lugar na fila em agências da Caixa de Fortaleza — Foto: Agefis/Divulgação

A Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) apreendeu 53 cadeiras que estavam sendo utilizadas para a venda de lugares em filas para receber o auxílio emergencial na madrugada desta quarta-feira (6). Ninguém foi detido.


Desde o início dos saques, agências da Caixa de Fortaleza e cidades do interior têm registrado longas filas e aglomerações. Em alguns casos, pessoas dormiram na porta do banco para tentar conseguir senhas e sacar o benefício de R$ 600. Por causa da pandemia, algumas pessoas usam máscaras, no entanto também é possível observar beneficiários sem proteção, o que aumenta o risco de contaminação da doenç


A aglomeração, contudo, contraria a recomendação de autoridades de saúde de distanciamento mínimo para frear a pandemia do novo coronavírus.


O maior volume de cadeiras, bancos de plásticos, banquetas e cavaletes foi constatado nas agências dos bairros Messejana e Parangaba. Os objetos ficavam marcando os lugares nas filas para serem vendidos.

Cadeiras eram usadas para marcar lugares em Fortaleza — Foto: Agefis/Divulgação

Na agência da Messejana, por exemplo, onde foram apreendidos os materiais, os beneficiários passam a noite no local à espera de atendimento. Eles denunciam que outras pessoas ficam na fila para vender o lugar.

A ação da Agefis foi realizada em 20 agências da Caixa Econômica na capital. Além dos agentes de fiscalização, a operação também contou com apoio da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), da Inspetoria de Proteção Ambiental da Guarda Municipal (IPAM) e Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA).

Por G1 CE