Foto: STF


Não adiantou o governo federal ter tentado convencer o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), a reverter sua decisão sobre o comando geral da PF. Segundo informações da CNN, o magistrado manteve sua deliberação anterior, que suspendia a nomeação do delegado Alexandre Ramagem para o cargo.


A Advocacia-Geral da União (AGU) havia apresentado o pedido na Corte Suprema no início da semana, mesmo após nomear Rolando de Souza para o posto (veja aqui). Com isso, Rolando fica na Polícia Federal e Ramagem permanece na presidência da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), posto que já ocupava quando Bolsonaro tentou colocá-lo no comando da corporação.

A suspensão de Moraes foi feita no âmbito de uma ação judicial apresentada PDT, questionando a escolha por Ramagem diante das acusações feitas pelo ex-ministro Sergio Moro (saiba mais aqui). Ao pedir demissão, há cerca de duas semanas, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública disse que Bolsonaro pretendia tirar o delegado Maurício Valeixo do cargo para interferir politicamente na PF (saiba mais aqui). Além disso, o presidente da Abin é amigo dos familiares do presidente e chefiou a segurança de Bolsonaro no período da eleição.