Fiscalização do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e da Controladoria Geral da União (CGU) identificou 24.232 servidores estaduais e municipais do Ceará recebendo Auxílio Emergencial devido à crise do coronavírus. O problema é que eles estão empregados e não são o público alvo do benefício. O rombo é de R$ 16.519.200.

Os 10 municípios com mais fraudes de servidores: Fortaleza (1.587), Jijoca (628), Acaraú (505), Crateús (489), Parambu (472) , Cruz (359),
Quixadá (340), Novo Oriente(338), Salitre (299) e Santa Quitéria (284).

Em tempo


O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) não tem participado dessa devassa.

Confira a lista de todos os municípios envolvidos


CN7