O WhatsApp anunciou nesta segunda-feira, 15, que o Brasil será o primeiro país a receber uma atualização do aplicativo que vai permitir que usuários enviem e recebam dinheiro, usando cartões cadastrados. A novidade também vai permitir que contas do WhatsApp Business recebam pagamentos por produtos e serviços.

Os pagamentos acontecem dentro de uma função chamada Facebook Pay. Em nota, o WhatsApp afirma que o recurso tem esse nome para que, no futuro, os mesmos dados de cartão possam ser utilizados em toda a família de aplicativos da empresa — sinalizando que o Facebook, dono também do Instagram, planeja expandir funções de pagamento para outros apps.

O WhatsApp não é o primeiro a expandir um aplicativo de mensagens em sistema de transferências eletrônicas. Na China, o WeChat foi responsável por uma revolução na maneira de pagar no país e atualmente é também rede social e uma plataforma de vendas.


Como vai funcionar?


Para que usuários possam enviar e receber dinheiro pelo WhatsApp será preciso cadastrar um cartão na função Facebook Pay. Veja como vai funcionar:


– Haverá uma função, no mesmo menu do envio de imagens, chamada “Pagamento”;


– Quando o usuário clicar nela, o aplicativo vai pedir um valor e redirecionar para a criação de uma conta;


– Será preciso aceitar os termos de uso da plataforma e criar uma senha número de 6 dígitos;


– Depois, o usuário vai precisar incluir nome, CPF e um cartão emitido por um dos bancos participantes;


– Será preciso verificar o cartão junto ao banco, recebendo um código por SMS, e-mail ou aplicativo do banco.


De acordo com o WhatsApp, será preciso incluir a senha (ou reconhecimento biométrico do celular) toda vez que o usuário for enviar dinheiro. As informações de cartão também são encriptadas.


Inicialmente será possível usar cartões de débito, ou que têm função de débito e de crédito, Visa e Mastercard dos bancos Nubank, Sicredi e Banco do Brasil. A transferência vai ser intermediada pela Cielo e será sem taxas para os usuários. Segundo o WhatsApp, o modelo, no entanto, é aberto e está disponível para receber outros parceiros no futuro.


Do Repórter Ceará com Portal G1