Cidades do Cariri, onde os casos mais crescem no estado, avança para fase de transição da flexibilização econômica.


Circulação de pessoas em ruas de Fortaleza no 1º sábado de abertura em quase três meses — Foto: Helene Santos/SVM



O novo decreto estadual sobre a flexibilização da economia no Ceará, publicado na noite deste sábado (25) no Diário Oficial do Estado, estabelece que não há municípios em situação de lockdown, isolamento social rígido no estado.


As cidades da região Cariri, onde o número de novos casos mais cresce no estado, estão em "fase de transição", quando são permitidas parte das atividades econômicas, com restrição de horários e seguindo um protocolo de segurança sanitária.


No auge da pandemia de coronavírus, em março, um lockdown foi determinado em todo o estado. Apenas atividades econômicas consideradas essenciais, como farmácias e supermercados, estiveram liberadas.


Fortaleza é a cidade mais avançada no processo de reabertura da economia, mas as escolas continuam sem aulas presenciais; as academias de ginásticas vão voltar a atender a partir de segunda-feira (27), com 30% do público, e os templos religiosos podem receber até 50% da capacidade.


Veja a situação nas demais cidades do estado:



Municípios da Macrorregião de Fortaleza estão Fase 3, que permite funcionamento de restaurantes, com horário reduzido;
Macrorregiões do Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe seguem na 1ª semana da Fase 2;
Macrorregião Norte segue para a 2ª semana da Fase 1, onde é autorizado o funcionamento de atividades essenciais e restaurantes, com restrições;
Macrorregião do Cariri permanece na Fase de Transição da Economia, por conta dos indicadores ainda em alerta.

Os números da Covid-19



No auge da pandemia, decreto determinou lockdown em todo o Ceará e ruas ficaram vazias — Foto: Thiago Gadelha/SVM


O Ceará contabiliza mais de 7,4 mil mortes confirmadas pela Covid-19 e os diagnósticos positivos superam os 160 mil, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).



A média móvel de casos confirmados por semana no Ceará teve uma redução de 39,4% entre a segunda quinzena de julho e os primeiros 15 dias de julho, segundo a Sesa. Fortaleza teve queda de 47,4% no índice de mortes nesse mesmo período.


A capital, cidade com as maiores taxas, concentra 40.907 casos confirmados e 3.651 mortes pela enfermidade. Em seguida no número de casos estão as cidades de Sobral, com 9.494 confirmações, e Juazeiro do Norte, que tem 5.588 registros.


Os números apresentados pela Sesa são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.


Por G1 CE