Centro de testagem funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 16h, e não é necessário agendamento.


Público chegou antes do amanhecer para esperar o início do atendimento — Foto: Halison Ferreira/ SVM

As filas para atendimento no centro de testagem gratuita de Covid-19 na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza, se formaram ainda na madrugada desta terça-feira (18), segundo dia de funcionamento da unidade. Por volta das 3 horas, já havia registro de pessoas no entorno do ponto de testes. O público faz uso de máscara de proteção, já o distanciamento social não é mantido. O centro começou a funcionar na segunda-feira (17) e já no primeiro dia houve longas filas e tumulto no local.

O ponto de testagem da Praça funciona de segunda a sexta, de 8h às 16 horas. Os interessados em fazer a testagem devem comparecer ao local com um documento com foto e vão receber uma senha de atendimento. Não é necessário fazer agendamento prévio.

Segunda vez na fila

Entre as pessoas que chegaram na madrugada, estão algumas que não conseguiram atendimento no primeiro dia. É o caso da professora Antônia Iolanda Dias Gomes, que chegou por volta das 4h46, poi apresenta sintomas da doença.


“Passei uma semana sentindo febre, tosse, muita coriza. Fui ao médico e ele chegou a suspeitar, mas não fizeram exame. Me interessei para saber como estou. Ontem viemos, mas não conseguimos”, afirma.


Antônia perdeu o pai em maio, em decorrência do novo coronavírus. Ela foi ao ponto, na companhia do marido, que é aposentado, teve contato com o sogro e mesmo sem sintomas quer tirar a dúvida se contraiu a Covid-19.


Também em busca fazer o teste, a professora Camila Silva chegou na Praça do Ferreira às 4h20. A mulher já havia comparecido no ponto na segunda-feira, porém não conseguiu receber uma senha e buscou o drive-thru do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), onde também não foi atendida


“Ontem cheguei 7h30 e já estava lotado, teve muita confusão. Daqui, eu fui tentar fazer no Hospital Geral, lá eles informaram que tinha que ser agendado, mas quando você vai no aplicativo não tem vaga mais esse mês e a gente perde muito tempo”, disse.


Camila tem asma e faz parte do grupo de risco da doença. Ela chegou a apresentar sintomas do coronavírus, foi ao hospital, fez os protocolos indicados pelos médicos, mas na ocasião não chegou a fazer o teste para confirmar se realmente estava com o novo coronavírus.


Já o mototaxista João Batista Feitosa conseguiu fazer o teste no primeiro dia e hoje trouxe a tia, a prima e uma sobrinha que moram no interior e estão na cidade. A cunhada e o sobrinho de João, que moram na mesma casa que ele, foram diagnosticadas com o novo coronavírus e seguem em tratamento. "Eles estão isolados, mas a casa é pequena, mas não dá para ter isolamento", relata.


O tipo de teste RT-PCR, de biologia molecular, é feito com coleta de amostras com o “swab” (uma especie de cotonete) da cavidade nasal e/ou na orofaringe, região perto da amígdala. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera o teste como referência na detecção de casos da Covid-19.

Público faz fila no primeiro dia de testagem gratuita para a Covid-19 na Praça do Ferreira, em Fortaleza. — Foto: Kilvia Muniz/ SVM


Na última quarta-feira (12), o centro de testagem de Maracanaú começou a operar no interior do Hospital Municipal João Elísio de Holanda. Os centros de testagem da Praça e de Maracanaú funcionam sem agendamento prévio, por demanda espontânea. Os sistemas oferecem testes do tipo RT-PCR, que detectam se a pessoa está com o novo coronavírus no organismo. O resultado sai em até cinco dias.


A diretora do Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará, Liana Cavalcante, afirma que serviço pode ser utilizado por pessoas assintomáticas ou sintomáticas. Em caso de casos sintomáticos, ela orienta que as pessoas realizem o teste a partir do terceiro dia de aparecimento dos sintomas.


Conforme a diretora do Lacen, a previsão inicial era que 200 pessoas fossem atendidas por dia no local, porém, devido a grande demanda no primeiro dia do serviço, o número de atendimentos será ampliado. “A gente pensou inicialmente em 200 pessoas por dia, mas nós estamos vendo que o primeiro dia, como as pessoas estão numa certa angústia de vir fazer logo o exame, com certeza isso vai dar muito mais. Vamos atender a todos”, disse.




Outros pontos de testagem



O centro de testagem para Covid-19 de Maracanaú realiza testes do tipi RT-PCR. — Foto: Kilvia Muniz/SVM


Na capital, os moradores também podem buscar testagem em dois drive-thrus, instalados no Hospital Geral de Fortaleza (HGF) e no estacionamento do Shopping RioMar Kennedy. Para fazer o exame nos drive-thrus, é necessário realizar agendamento no portal Saúde Digital.


De acordo com a Sesa, o sistema de drive-thru do HGF, que começou a funcionar em 15 de junho, já coletou 4 mil amostras. No drive-thru do estacionamento do RioMar Kennedy, já foram 1.200 amostras coletadas.



Por G1 CE