Segundo os bombeiros, as chamas chegaram a dois sítios do Distrito de Alencar. Outras ocorrências também aconteceram nos municípios de Santa Quitéria e Ipueiras neste fim de semana.


Bombeiros levaram cerca de duas horas para debelar as chamas em Iguatu, no Ceará — Foto: Corpo de Bombeiros

Um incêndio de grandes proporções atingiu uma área de cerca de 80 hectares neste domingo (9), no Distrito de Alencar, em Iguatu, no Sul do Ceará. Segundo o tenente-coronel Nijair Araújo Pinto, do 4º Batalhão, este é o maior registro dos últimos dias. Os bombeiros debelaram as chamas com apoio da população.

“Segundo os moradores, há duas possíveis causas. Alguns dizem que uma senhora ateou fogo no lixo da própria casa e perdeu o controle. Outros já afirmam que foi em razão de um curto-circuito em um dos fios próximo à plantação”, afirmou.






As duas localidades mais atingidas foram os sítios Aroeiras e Baixas — Foto: Corpo de Bombeiros


Uma guarnição do 4º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Iguatu foi acionada por volta das 13 horas e conseguiu debelar as chamas. Os bombeiros utilizaram bombas costais, abafadores e sopradores, além da ajuda de populares. A guarnição levou cerca de duas horas para finalizar a ocorrência.


No total, dois sítios localizados no distrito foram atingidos: Aroeira e Baixas. Na última sexta-feira (7), um incêndio na mesma região chegou a atingir uma área de 20 hectares. O local é usado para reintegração de animais silvestres.

Incêndios em Santa Quitéria e Ipueiras



Em Santa Quitéria, as matas da localidade cujo nome também é Ipueiras chegaram ao terceiro dia de incêndio neste domingo (9). Testemunhas alegavam que animais chegaram a morrer queimados e o fogo ameaçava se aproximar de casas.

Já no município de Ipueiras, cidade localizada a uma hora e meia de Santa Quitéria, o incêndio ocorreu em uma localização conhecida como Morro da antena, no bairro São José, entre a noite deste sábado (8) e a madrugada deste domingo (9).




Situação de emergência ambiental




Neste ano, o governador Camilo Santana decretou estado de emergência ambiental para combate aos incêndios florestais. Esta é a primeira vez na história do Ceará que um decreto como esse é decretado no estado. Geralmente, a medida ocorre para outras adversidades, como escassez hídrica ou inundações. A medida está publicada no Diário Oficial e fica válida até janeiro de 2021.


Com a decisão, a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) pode contratar brigadistas ambientais para atuação nas 28 unidades de conservação estaduais. As previsões de períodos mais críticos se dão, normalmente, através de portarias do Ministério do Meio Ambiente (MMA) ou decretos federais.


Neste cenário, o decreto estadual potencializa ações estabelecidas em 16 de julho, em nível federal, em determinação que proíbe o uso do fogo em áreas rurais por um período de 120 dias. Em 2019, o decreto havia sido publicado no fim de agosto com duração de 60 dias. Neste ano, a medida foi decretada em julho, com o dobro do tempo.


Por G1 CE